27 de mai de 2012

" Para ser amigo de si mesmo é preciso estar atento a algumas condições do espírito. A primeira aliada da camaradagem é a humildade. Jamais seremos amigos de nós mesmos se continuarmos a interpretar o papel de Hércules ou de qualquer super-herói invencível. Encare-se no espelho e pergunte: quem eu penso que sou? E chore, porque você é fraco, erra, se engana, explode, faz bobagem. E aí enxugue as lágrimas e perdoe-se, que é o que bons amigos fazem: perdoam.
Ser amigo de si mesmo passa também pelo bom humor. Como ainda há quem não entenda que sem humor não existe chance de sobrevivência? Já martelei muito nesse assunto, então vou usar as palavras de Abrão Slavutsky: "Para atingir a verdade, é preciso superar a seriedade da certeza". É uma frase genial. O bem-humorado respeita as certezas, mas as transcende. Só assim o sujeito passa a se divertir com o imponderável da vida e a tolerar suas dificuldades.
Amigar-se consigo também passa pelo que muitos chamam de egoísmo, mas será? Se você faz algo de bom para si próprio estará automaticamente fazendo mal para os outros? Ora. Faça o bem para si e acredite: ninguém vai se chatear com isso. Negue-se a participar de coisas em que não acredita ou que simplesmente o aborrecem. Presenteie-se com boa música, bons livros e boas conversas. Não troque sua paz por encenação. Não faça nada que o desagrade só para agradar aos outros. Mas seja gentil e educado, isso reforça laços, está incluído no projeto "ser amigo de si mesmo".
Por fim, pare de pensar. É o melhor conselho que um amigo pode dar a outro: pare de fazer fantasias, sentir-se perseguido, neurotizar relações, comprar briga por besteira, maximizar pequenas chatices, estender discussões, buscar no passado as justificativas para ser do jeito que é, fazendo a linha "sou rebelde porque o mundo quis assim". Sem essa. O mundo nem estava prestando atenção em você, acorde. Salve-se dos seus traumas de infância. Quem não consegue sozinho, deve acudir-se com um terapeuta. Só não pode esquecer: sem amizade por si próprio, nunca haverá progresso possível, como bem escreveu Sêneca cerca de 2.000 anos atrás. Permanecerá enredado em suas próprias angústias e sendo nada menos que seu pior inimigo."

Martha Medeiros

13 de mai de 2012

" Você é quem decide o que vai ser eterno em você, no seu coração.
 Deus nos dá o dom de eternizar em nós o que vale a pena, e esquecer definitivamente aquilo que não vale." 
 
  ( Pe. Fábio de Melo )
Então eu estava lá, me culpando por palavras tortas, passos em falso, descuidos, enganos.
E cenas e cenas e cenas me entupindo a cabeça com o mais cruel e sincero adjetivo: imperfeito.
Porque eu precisava largar as expectativas, os planos, o improvável e as autocríticas e enxergar a verdade: Eu não podia ser perfeita. Eu sou humana. 
Tenho humores inconstantes, sou descontrolada, sou sensível, sou transparente.
E descobri da maneira mais dificil que as coisas nunca serão como eu acredito que são. 
Nada como contos de fada ou filmes, isso é vida real.
 Depois de quedas de auto-estima, crises de choro e muitos chocolates estou mais consciente, mais resistente ! 
Ainda há sonhos dentro de mim, mas agora eles são mais concretos, reais e objetivos.
Sonhos que envolvem alvo e uma busca incansável pela felicidade.
 E sobre o amor, eu ainda sei muito pouco.

Mas eu partirei nessa busca - só pra constar.
Bom mesmo é cafuné de quem a gente gosta. É fazer samba bem no centro do tédio da gente. É arriscar um suspiro em noite estrelada. É sorrir por dentro pra dar energia. Bom mesmo é estar perto de quem a gente quer. É poder escolher a dedo quem entra pela porta da frente. É saber que do outro lado da linha vai ter sempre alguém te ouvindo. Bom mesmo é pular de alegria por uma coisa qualquer. É soltar as amarras que te prendiam aos pés do passado. É acolher com as mãos e sorrisos alguém que já te escureceu. É fazer brotar uma flor num canteiro vazio. Bom mesmo é ir sem ter pressa de chegar. É fazer amizade no caminho. 
É fazer crescer a esperança e manter o coração sereno.
' Ela acreditava em anjos
e porque acreditava, eles existiam '
[Clarice Lispector]
 
.
É que mãe é bem isso,
 a gente só de lembrar,
já alivia o peito
.

[Feliz dia das Mães]

12 de mai de 2012


Você não me procurou e eu não me desculpei.
Sem razão, meu amor. Brigados outra vez.
Dias sem telefonar, ninguém dá o braço a torcer.
O orgulho amargou as nossas vidas.
Brigas por nada, ofensas de graça.
Solidão! Tanta dor por motivos banais.
Amor não aguento mais!
Olha eu não vivo sem você. Sem te sentir, te ouvir, te ver.
Sem o calor do seu abraço que, sempre foi meu!
Não tem porque viver assim.
Foi outra briga a toa e fim
To aqui fora, abra a porta eu sou todinho seu.

Durante todo esse tempo eu olhei pra tras
E percebi que eu te amo cada dia mais
Me acostumei com tudo seu
De bom e de ruim
Não muda em nada
Que eu amei você assim
A briga resolvida é uma rosa em um jardim
Mas se tem mágoa fecha, seca
Apodrece sim!
Amor eu leio e vejo seus sinais
Ficar desse jeito pra que?
Olha eu não vivo sem você (...)

- Sorriso Maroto -

10 de mai de 2012


"Nossa história é dessas que a gente não sabe quando começou,
 mas tem certeza que nunca vai ter um fim.
 Porque você é dessas pessoas que me fazem esquecer o que um dia doeu.
Você é dessas pessoas, que me fazem acreditar no amor.
 Dessas pessoas lindas, que fazem um dia simples, se tornar inesquecível."


Uma vez me disseram que todos um dia amam, e isso me atormentou por muito tempo. Não que eu seja a mais seca das rosas, mas eu nunca consegui manter nada. Não que eu seja a garota mais diferente do mundo, porque eu sei que não sou. Mas é que por dentro, eu sinto algo diferente. Algo que já tentei descrever em milhares de textos e poemas, não consigo. Mas, por você tentarei explicar o que sinto agora.
Já me apaixonei por vários garotos, de todos os tipos, jeitos e defeitos. E nada durou por mais que um mês. Não pense mal de mim, apesar de as vezes eu também achar que não presto eu sei que sou uma boa garota. Se não sou, eu tento.
O problema não é exatamente a intensidade. Digamos que o problema seja em manter tudo isso.
Quando o que eu quero se torna realidade eu abandono, ou melhor, meu coração me abandona ou é abandonado.
Então me tornei fria e egoísta. Talvez até calculista. Sim, por medo de me machucar eu machuquei pessoas.
Eu usava as pessoas. E depois simplesmente, descartava.
Eu simplesmente parei de sentir. E achei que jamais abriria meu coração outra vez.
Porque todo trauma, deixa vestígios. Mas apesar disso nunca tive medo de quebrar a cara mais uma vez, se isso pudesse me mostrar um sentimento verdadeiro e recíproco. Se possível, o amor.
Aquele amor eterno, sincero. Que te leva a fazer planos de um futuro bom.
Sempre desejei encontrar meu príncipe encantado. Aquele que ainda com seus defeitos e manias, eu o desejasse pra envelhecer comigo.
Porque, mesmo que te irrite, te faça sofrer um dia ou outro é ele que te faz ver o outro lado da história.
Como é o ficar, e não o ir.
E com a gente tudo foi tão diferente. Não foi exatamente amor à primeira vista. Nem à segunda, ou terceira. Quando dei por mim você já estava do meu lado, me apoiando e abraçando forte nos momentos difíceis.
E eu quis ficar. Pra sempre.
Não precisa mudar por mim. A gente se adapta ao jeito de ser um do outro.
Há um tempo atrás prometi que jamais estragaria tudo de novo. E eu acabei de fazer isso.
Sei que de nada adiantam desculpas, se a gente não melhorar.
Mas eu não consigo sozinha.
Tenha paciência comigo, saiba o que quer e o que eu quero.
Não vamos deixar coisas bobas estragar o que temos de mais bonito. Eu te imploro.
Pesos desnecessários causam sempre dores desnecessárias. Vamos esvaziar a mala, limpar, e preenchê-la com sensações boas, só as melhores.
Vamos conversar, e chegar a conclusão de que iremos ser melhores um para o outro.
Nunca duvide, você simplesmente existindo, me faz feliz.
Nunca esqueça, eu posso te fazer feliz também.
Eu não quero ser mais uma vez um coração nômade. Quero um lugar para dormir toda noite.
Deixe-me ser a coisa mais linda que já aconteceu em tua vida.
"Quando as pessoas se importam umas com as outras, sempre dão um jeito de fazer as coisas darem certo.", já diz meu autor favorito – Nicolas Sparks.
Eu vou fazer dar isso dar certo. E você?

5 de mai de 2012

Segure firme minha cintura, passe os dedos sobre os meus lábios e diga que ama todos os meus defeitos. Faça eu escutar nossa música dezenas de vezes sem perceber e finja que eu nunca desliguei o telefone na sua cara. Ame a cor do meu batom e nunca tenha receio de tirá-lo. Seja forte o suficiente para me segurar quando eu quiser te bater, me acalme com um beijo. Sorria sempre.
Não tente me entender, tento isso a vinte e dois anos e nunca consegui. Finja que não se importa com a minha maneira louca de ver as coisas, ame isso.
Siga-me enquanto eu caminho sem destino por aí com o fone de ouvido no último volume fingindo ser a garota mais interessante da cidade. Acredite nisso.
Não espere demais de mim, eu costumo fugir quando fazem isso.
Enquanto eu não deixo a angustia transbordar, desligue o fogo.
Faça nunca parar de ferver.
Queime comigo.

4 de mai de 2012

Eu, modo de usar:


“Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor, mas permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre a minha nocauteante beleza. Tenha vida própria, me faça sentir saudades, conte umas coisas que me façam rir, mas não conte piadas, nem seja preconceituoso, não perca tempo cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude.
Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada (então fique comigo quando eu chorar, combinado?).
Seja mais forte que eu e menos altruísta. Não se vista tão bem, gosto de camisas pra fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto, boca, cabelo, os pelos no peito e um joelho esfolado. Você tem que se esfolar às vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiíta contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai.
Invente um papel pra você que ainda não tenha sido preenchido e o inverta às vezes, me enlouqueça uma vez por mês mas me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca. Goste de música. Deixe eu dirigir seu carro aquele carro que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Me conte seus segredos, me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções, me rapte. Se nada disso funcionar, experimente me amar.”

(Martha Medeiros - Cartas extraviadas e outros poemas)