31 de jul de 2011

" A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores tem cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes
FLORES. FLORES
As flores de plástico não morrem ! "

- Titãs


Porque eu não consigo tirar essa música da cabeça, depois do show perfeito deles ontem *-*

30 de jul de 2011


“O que tenho, nesse instante, é um sabor inédito de beijo,
um novo número de celular para adicionar na minha agenda, 
uma cor de olhos que não sei definir com precisão, 
um corpo que se encaixa no meu 
e uma conversa que me mantém fascinada.”


A vida te dá uma rasteira. Você cai, tropeça, o sonho borra a maquiagem, o coração se espalha. 
Voce sente dor, perde o rumo, perde o senso e promete: Paixão nunca mais.
Mas você acaba por inventar um amor pra se distrair. Ou, as vezes nem é preciso. O amor te encontra.
Depois te tantas promessas sobre não se apaixonar, você se surpreende amando mais uma vez.
Novos sonhos. Novas esperanças. Novos risos. Novas lágrimas.
E a vida segue. 

" Durante toda minha vida, estive envolvida em algum tipo de drama com algum tipo de cara. Cada qual se sobrepondo ao seguinte.
E sempre sou inteiramente tragada pela pessoa que amo.
Sou como uma membrana permeável. Se eu amo você, eu lhe dou tudo que tenho. Dou-lhe o meu tempo, a minha dedicação, o meu dinheiro, a minha família, o meu cachorro, o dinheiro do meu cachorro, o tempo do meu cachorro - tudo. Se eu amo você, carregarei para você toda a sua dor,  protegerei você da sua própria insegurança, projetarei em você todo o tipo de qualidade que você na verdade nunca cultivou em si mesmo e comprarei presentes de Natal para sua família inteira. Eu lhe darei o sol e a chuva. Darei a você tudo isso e mais, até ficar tão exausta e debilitada que a única maneira que terei de recuperar minha energia será me apaixonar por outra pessoa..."

[Elizabeth Gilbert - Comer Rezar Amar]

[ Esse trecho diz muito sobre mim, ou melhor, diz tudo ;x ]

28 de jul de 2011


As pessoas se espantam ao ler certas coisas que escrevo. Não conseguem imaginar como uma pessoa pode ser tão triste e ainda assim,sorrir todos os dias.
A farsa está em mim. O riso cansa, dói tudo por dentro.
  A aspereza dos dias me invade os lábios e estes sangram de uma dor já esquecida, ocultada entre as indas e vindas do dia-a-dia. É uma dor anestesiada.
A vida corre lá fora,  e aqui dentro a luz ainda não entrou. 
Mas tá bom assim. Tá frio. E eu gosto disso. 
Sabe, talvez, esse aperto no fundo do peito não seja nada. E é mesmo nada. Eu sofro de nada. Do vazio de sensações.

25 de jul de 2011

E que tal falar agora sobre minha eterna paixão? Harry Potter.
Uma coleção de 7 livros, escrita por J. K. Rowling, e lida por mim e outras milhões de pessoas no mundo. Filmes, que na minha opinião fizeram jus aos escritos dela. E que agora, chegaram ao fim.
Só de ouvir aquela musiquinha típica, eu enlouqueço.
Quando ainda criança, descobri um mundo paralelo ao meu, encantado demais.
Comecei a acompanhar uma história, que passou também a ser minha.
Devorava cada palavra, cada aventura e me machuquei quando descobri que não receberia minha carta de Hogwarts quando completei 11 anos. E isso me empurrou cada vez mais pra dentro do mundo da fantasia, onde bruxos existem, centauros habitam florestas proibidas e a magia é real.
Harry Potter é muito mais que o menino que sobreviveu. Seu nome se tornou sinonimo de fãs enlouquecidos, de aventuras fantásticas e de uma história que além da magia, traz valores como a importancia da familia e dos amigos.
Levarei essa historia pra frente. Pra sempre.
A historia mais fascinante da minha vida.
Para todos os Pottermaníacos eu deixo uma frase de J.K. Rowling:  
“A história que amamos nunca termina. Se você voltar às páginas ou olhar para a tela novamente, Hogwarts estará lá para te receber de braços abertos.”

" Você é linda, meiga, inteligente. E não precisa de alguém pra ser feliz. "
Rá. Aposto que toda mulher já ouviu isso alguma vez.
Mas pra que tantos conselhos? Pra que tudo isso?
Sempre é tarde demais. Elas sempre estão envolvidas demais. Tudo em vão.
Quer saber? O maior erro de uma mulher é entregar seu coração nas mãos de um homem.
Mas mesmo sabendo que estamos errando, entregamos nossos sentimentos a eles.
E o que acontece? Saímos com cicatrizes na alma.
As estações do ano passam, o sol e a lua também. 
E as cicatrizes ficam e, vez ou outra, ainda possuem a petulância de sangrar e nos fazer chorar.

24 de jul de 2011


Ontem eu chorei. 
Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. 
É o tempo. A chuva sempre me remete a nostalgias. O frio sempre congela meu coração.
Mas ontem eu chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência.
Pelos sonhos desafinados, estremecidos e sempre adiados.
Chorei por termos nos perdido.
Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa.
Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei.


- Caio Fernando, me inspira sempre!
Ah, e não poderia deixar de agradecer : o Fragmentos Nostálgicos chegou a 100 seguidores o/

22 de jul de 2011



Ontem eu olhei várias vezes para o céu. E a noite estava tão turva, tão densa, tão confusa.
Acho que me perdi nos pensamentos dela. E nos meus.
Naquela pesada névoa de um inverno congelante, congelado.
Tudo parecia estático ontem. Os sorrisos plastificados nos rostos, as mãos frias que me ousaram tocar a face. Outra pessoa veio aqui me consolar. E eu não gosto de consolos. Consolos fazem minha ferida ficar mais exposta, como se eu não a pudesse controlar. Sanar. Sarar.
Por mais que seja dolorido, por mais que não faça nenhum sentido, eu realmente te queria aqui.
É estranho, é louco e é manso. É uma vontade serena. Uma paz turbulenta que me invade o ser. A alma transborda pelas beiradas do corpo e eu inteira sou silêncio. Sempre fui.

20 de jul de 2011


Amizade: Nunca abandonar ou esquecer.

Tenho pessoas comigo há anos. Pessoas comigo há dias. E pessoas comigo há minutos. 
Tanta intensidade, tanta coisa bonita, cumplicidade, partilha, amor... 
O bom da amizade é que é o unico tipo de amor que não tem neura, tempo ou espaço. Acontece e flui. E é maravilhoso. 
Ao longo do tempo, aprendi que amigos são poucos. Poucos e loucos, fazem tudo por nós.
Tem os amigos pra te contar a melhor piada que você já ouviu na vida, os amigos pra sentar e declamar poemas e chorar junto. Amigo pra sentar e beber. Amigo pra você ligar de madrugada e conversar. Amigo pra contar segredo e dizer que ''já chega''. Amigo pra tudo.
E eu tenho todos esses pra mim.
Eu tenho pessoas que me amam. Independente do cabelo bagunçado, do humor inconstante, de não saber demonstrar reciprocidade, de desapontá-los.
Terei pra sempre, quero ter pra sempre.
Amo meus amigos, e esse é o melhor amor do mundo.

18 de jul de 2011


Sabe, as coisas não estão legais hoje... Aliás, você já sabe bem disso!
É tudo tão confuso e eu estou  muito cansada para explicar. 
Hoje eu preciso de sonhos. Podia ser qualquer um. 
Tem algo estranho no ar, a brisa está densa. É como se o meu coração não quisesse mais bater.. Parece que as coisas estão morrendo dentro de mim. 
Sinto que esqueci minhas rimas em algum lugar. Deixei as palavras em alguma esquina qualquer.
Todo o corpo já tem cheiro de um ontem mal dormido.
Queria fazer parar de doer, de sangrar - mas como é que se estanca o que nos fere por dentro?
A razão é dura, é fria. A razão finge que protege, mas nos atira mais e mais ao abismo que existe dentro.
 Então, eu te peço: por favor fique com o coração. Fique com o meu coração!

17 de jul de 2011

Já eram quatro da manhã e ela se preparava para, enfim, dormir. Ou melhor, deitar. 
Dormir juntinho com o bom dia do sol já era quase um ritual diário. Rotina. 
Sozinha no quarto, ela pensava nas irônias do destino. 
Até alguns anos atrás, tinha medo do escuro e de estar só. Hoje, consigo mesma em silêncio e com a fragilidade noturna, se encontrava. 
 De pés descalços no chão frio, maquiagem escorrida e ainda a roupa da festa, foi até a janela. 
O céu parecia não ter nuvens, ainda que as tivesse. Era como se estivesse pintado em aquarela. Azuis escuro. Não tinha nada de cinza. Apenas azul. Tons de azul desbotando o azul-escuro-quase-preto predominante, juntamente com o escarlate. Sorriu. 
Contemplou durante mais alguns minutos aquele céu borrado em aquarela. Ligou o som. Missing. Sim, a música cuja letra era perfeita para aquele momento. 
" Algo não está faltando? Ninguém está sentindo a minha falta? "
Lagrimas salgadas e frias, que embalaram sua fria madrugada triste.
Porque a cicatriz está do lado de dentro. Do lado de dentro da alma.
E hoje acordou com o rosto amassado de sono e choro.


- escrito ao som de Evanescence, 
e mergulhada em lembranças de um final de semana qualquer!


Quando o sol brilha lá fora às vezes consegue aquecer aqui dentro. Mas, sem sempre.
O sol brilha momentaneamente em mim. 
Me vejo a contemplar mil feixes de luz  nas árvores, no chão ... Me rendo. 
Não escrevo nesses dias de sol. Apenas observo, absorvo. Guardo em mim esse calor pra mais tarde, pras horas mais frias da noite.
Porque eu só escrevo quando dói.

16 de jul de 2011

"Eu não queria admitir, mas a tua presença ainda me afeta,
e a tua ausência simplesmente me destrói."

Não sei como será o futuro, e sinceramente não estou preocupada com isso.
Nem sei se 'isto' vai durar muito, ou pouco tempo.
Só quero aproveitar o presente, ao teu lado! Talvez, quem sabe.

Não se explica, sente-se.

8 de jul de 2011

Mais uma noite fria. 
Cobertores aquecem meu corpo, mas coração continua gélido e vazio. Gélido por sua indiferença, vazio por seu medo de amar.
Uma reação em cadeia de sentimentos bons e ruins que confundem meu coração que insiste em sangrar sempre mais.
O brilho do seu olhar me faz estremecer. O seu sorriso me acalma. O seu toque me desestrutura. E o seu silêncio, ironicamente, é o barulho que me faz despertar desse sonho.
E enquanto esse frio toma meu corpo, eu recordo que o mesmo amor que acalma, alegra e faz suspirar, também machuca e faz chorar.
Mas atire a primeira pedra, quem acha que vive plenamente aquele que nunca amou, se decepcionou e amou mais uma vez.
Afinal, o que importa realmente é sobreviver e nunca deixar de acreditar. Porque como bem diz a música, longe de você eu enlouqueço muito mais!

7 de jul de 2011

Frio, café quente, casaco de pele, lua, céu estrelado, sorrisos, sentimentos. Na dança, na música, na noite. Nos passos e compassos de sua jornada. Nas entrelinhas do livro, na cor da caneta, nas palavras digitadas. Com o vento gelado e o céu aberto. Chegou o abraço apertado, o beijo molhado e o corpo para aquecer. Uma alma pedindo a outra, recitando versos calados. Sol , sombra . Dias para as lembranças serem curadas . Para o coração ser esquentado. O beijo cala. O amor respira. Os laços de amizade se concretizam, ou se desmancham. O riso é sincero. O choro é escondido. Respira a nova estação, sentindo a paixão entre suas veias. Se recompõe feliz, citando versos aleatórios. Sente-se preenchida, não existe vazio. É simples e complexo. É descrito em orações curtas, simples. É sentido profundamente, complexo. É o tempo.