17 de jul de 2011

Já eram quatro da manhã e ela se preparava para, enfim, dormir. Ou melhor, deitar. 
Dormir juntinho com o bom dia do sol já era quase um ritual diário. Rotina. 
Sozinha no quarto, ela pensava nas irônias do destino. 
Até alguns anos atrás, tinha medo do escuro e de estar só. Hoje, consigo mesma em silêncio e com a fragilidade noturna, se encontrava. 
 De pés descalços no chão frio, maquiagem escorrida e ainda a roupa da festa, foi até a janela. 
O céu parecia não ter nuvens, ainda que as tivesse. Era como se estivesse pintado em aquarela. Azuis escuro. Não tinha nada de cinza. Apenas azul. Tons de azul desbotando o azul-escuro-quase-preto predominante, juntamente com o escarlate. Sorriu. 
Contemplou durante mais alguns minutos aquele céu borrado em aquarela. Ligou o som. Missing. Sim, a música cuja letra era perfeita para aquele momento. 
" Algo não está faltando? Ninguém está sentindo a minha falta? "
Lagrimas salgadas e frias, que embalaram sua fria madrugada triste.
Porque a cicatriz está do lado de dentro. Do lado de dentro da alma.
E hoje acordou com o rosto amassado de sono e choro.


- escrito ao som de Evanescence, 
e mergulhada em lembranças de um final de semana qualquer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !