29 de dez de 2012


De verdade, queria escrever um texto cheio de esperanças e promessas para o ano novo.
 Mas todo ano que passa, acredito mais na experiência do que na esperança.
 Então, desta vez, vou fazer uma promessa diferente. 
Vou esperar menos. 
Vou esperar o beijo de boa noite ao invés do eu te amo. 
Vou esperar o carinho ao invés das palavras bonitas. 
Vou esperar o som, o sorriso, o gesto. 
Vou esperar a sinceridade, a simplicidade. 
Vou esperar menos do que eu posso dar. 
Vou esperar a companhia sincera de poucos amigos. 
Vou esperar o final de semana ao invés de querer o pra sempre. 
Vou acreditar que o “pra sempre sempre acaba”. 
Vou assistir menos filmes repetidos, talvez. Ouvir menos música sertaneja. Vou ser menos romântica - no sentido literal da palavra. Vou parar de esperar que todos os filmes tenham finais felizes. Vou parar de esperar. 
Minha promessa de ano novo é bem simples: não me prometo mais nada.

9 de dez de 2012

Para todo mal sempre há uma cura. 
Pode até demorar um pouco para cicatrizar, mas sempre cura. 
Com o amor já é diferente. O amor não é um mal, e sim a cura.
 O amor pode até machucar, pode te roubar alguns sorrisos e acrescentar algumas lágrimas., mas nada que não te permita continuar, que não te permita tentar de novo. Amar de novo.
Desvios no caminho sempre irão acontecer, provavelmente maquiagens ainda serão borradas. 
Mas, deixar de acreditar no amor por causa de um amor que não deu certo? Isso nunca.
É bobagem odiar as rosas porque uma te espetou. Não é essa a frase?
 Só porque não deu certo uma vez, não quer dizer na próxima não irá dar certo. 
As pessoas hoje em dia concentram-se em quanto irão chorar, e acabam esquecendo-se dos sorrisos.
Não deixe de acreditar no amor.
 Um dia vai dar certo, você vai encontrar a pessoa certa e vai agradecer por todos os outros terem dado errado. 
Mas, até esse dia ainda tem muitos e muitos sorrisos pela frente.
 Então sorria e não se permita não acreditar. 



Um dia alguém vai se apaixonar pelo seu sorriso.
 Alguém vai precisar ouvir a sua voz antes de dormir e querer o seu bom dia para começar bem um dia qualquer.
 Um dia alguém irá querer carregar as suas dores consigo e trazer um pouco de alívio. 
Irá aceitar as suas falhas, perdoar os seus maus entendidos e respeitar os seus silêncios mesmo que não entenda. Um alguém que terá o abraço que acolherá todos os erros. 
Um dia, inesperadamente, alguém anula o resto do mundo para você. 
E você descobrirá, rapidamente, que esse alguém não poderia ser de mais ninguém, e nem você - é claro!

4 de dez de 2012




Você foi meu mundo, sempre teimei em fazer tudo girar em torno de você, te defendi como se defendesse minha própria vida, fiz de um tudo para poder te ter ao meu lado, de rezas bobas à feitiços de amor.
Mas você preferiu me deixar.
Culpei-me por não ser capaz de fazer essa história acontecer.
Cheguei a pensar que eu não era boa o suficiente para estar ao seu lado, mas não!
Eu era só uma menina tentando entender a arte do amor.
  Tive que me acostumar a viver um dia de cada vez com você um pouco mais morto dentro de mim e aos poucos te sinto menos.
  Por toda aquela dor que me fez sentir, por descobrir que você é quem não é suficiente para mim, por ter descoberto que ninguém aguenta um corpo sustentado com lascas de um amor errado e porque não sou mais aquela menina boba que seguiu o coelho e caiu no buraco dos sentimentos.
Hoje eu aprendi que mais que uma paixão avassaladora, a gente precisa é da segurança de um amor puro.
Alguem capaz de te aceitar ainda em pedaços, e saber aos poucos colar cada pedacinho do seu coração.  
Alguém paciente, alguém amável.
Alguém que apenas esteja do seu lado. Sem mais.
Alguém que dê o mundo por seu sorriso.
Alguém que cuide de você.
Afinal, acho que todo mundo devia deixar ser cuidado um pouquinho, ao invez de só cuidar do outro. Pra variar.
Mas antes de tudo, deixe-se curar!
  Aprenda a ser inteira sem mendigar outras metades, aprenda a completar-se de amor próprio, de autoestima.
Assim você não precisa ter alguém para ser feliz, mas será otimo ser feliz com alguém!

29 de nov de 2012





Hoje a noite está inspiradora. No céu brilha uma lua que de tão bonita nos dá vontade de deitar na grama de olhos bem fechados sentindo sentindo esse momento, sentindo minha alma. 
Não há quem não ri com um tempo bonito desses. 
Fazia tempo que não olhava o céu. Não admirava a enorme constelação que é teto desse mundo tão cheio de surpresas.
Para a maior parte das pessoas talvez essa noite não seja nada além de uma noite normal.
Pra mim não.  
Deixei a lua me dizer: “a vida está brilhando para você garota, não a deixe apagar.” e eu não deixarei. 
Não são devaneios absurdos, é que era exatamente desse céu estrelado que eu precisava para terminar toda essa limpeza aqui de dentro.
E cá estou não livre de todos os fantasmas que me afligiam, com vontade de levantar da cama e não dormir só para poder aproveitar cada segundo das vinte e quatro horas do meu dia, com um sorriso desses grudado no rosto como há tempo eu não tinha, querendo renovar o corte, tingir o cabelo, reformar o guarda roupa, a vida.
Cá entre nós, novembro me trouxe uma paz imensa.

27 de nov de 2012



Tá chovendo no meu quarto e, você sabe, às vezes eu fico um bocado menininha nesses dias de chuva. Te arranhei um recado pouco antes, desenhei umas palavras bem bobas só pra dizer o quanto te quero, te admiro, te quero bem. Tem vezes que enjoo um pouco da nossa rotina, outras que a gente se estapeia, nos damos bem. A gente se conhece no íntimo, a gente se reconhece nos suspiros, na troca de olhares, na mensagem de texto. Nós nos entendemos num ponto, numa vírgula, num telefonema que falta no meio da tarde, num bom dia amassado em voz de sono, num abraço de fica-aqui-só-mais-um-pouquinho. Eu estou feliz, sabe garoto? Tem quem diga que felicidade muita, tem mais é que ser guardada a sete chaves, escondida do mundo e da inveja. Mas acho que nós, depois de tanto, já estamos vacinados contra os olhares dos outros, contra o mal-querer das pessoas que só sabem é desdenhar a felicidade alheia porque não sabem como bordar alegria às suas rotinas. Tiramos de letra, meu caro. Depois de muito apanhar, aprendemos a driblar a infelicidade, a mesmice. Aprendemos a colorir os dias cinzas, a amanhecer cantando e dançando, a permitir a preguiça debaixo dos lençóis, a repetir o mesmo cardápio todo dia, nem assim, cair na rotina. O fato é que tá chovendo manso no meu quarto e eu te desenhei umas palavras bobas porque a felicidade – tal como a tristeza – quando é demais também precisa transbordar. E eu transbordo entre sorrisos, e eu te aninho em pensamento, te mimo, te guardo, te quero bem. Te quero muito bem. Nos quero sempre bem.