26 de jan de 2010

- Eu sou um poema inacabado que ninguém nunca leu. Eu sou a paisagem daquele quadro que o pintor não terminou. Eu sou uma tarde quente de verão em que não choveu. Eu sou aquele rio que secou antes de alcançar o mar. Eu sou aquele sonho bonito que ninguém realizou. Eu sou a escultura quase perfeita que caiu da mão e se quebrou. Eu sou aquela paixão gostosa que por medo, alguém sufocou. Eu sou o amor que alguém esperava mas nunca chegou. Eu sou metade do que eu desejava ser e o dobro do que eu nunca esperei !

( Clarice Lispector )

Um comentário:

  1. Belo post Bernadete ! Os contrastes da vida a tornam facinante !

    beijos !

    ResponderExcluir

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !