20 de abr de 2012

Antes tarde do que nunca
O mundo sorriu...
Mesmo depois de uma guerra fria,
Tinha de haver algo naquele mês de abril.

Mesmo nos rumores de um mundo insano,
Naquele outono de 90,
Algo grandioso estava a acontecer,
Pois a lua não podia ser mais ciumenta...

A lua e os astros deveriam bater palmas,
Dar brados de viva e cantar:
Estava nascendo e vivendo
Uma nova flor no pomar!

Áries devia ter se incomodado
Afinal, quem é esta criatura bela?
Ah, pobre astro..
Mal saberia quem se tornaria ela..

Vinte e dois outonos depois,
Eis que a flor se tornou mais radiante
Cheia de amor, de sonhos e fé...
Ainda sim com toques de menina,
Mas cheia de força, digna de ser mulher!

*********

Poesia de aniversário que ganhei de um grande amigo, Edson J. do Carmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !