25 de mai de 2010

Então eu estava lá, me culpando por palavras tortas, passos em falso, descuidos, enganos.E cenas e cenas e cenas me entupindo a cabeça com o mais cruel e sincero adjetivo: imperfeito.Porque eu precisava largar as expectativas, os planos, o improvável e as autocríticas e enxergar a verdade: Eu não podia ser perfeita. Eu sou humana. Tenho humores inconstantes, sou descontrolada, sou sensível, sou transparente.E descobri da maneira mais dificil que as coisas nunca serão como eu acredito que são. Nada como contos de fada ou filmes, isso é vida real. Depois de quedas de auto-estima, crises de choro e muitos chocolates estou mais consciente, mais resistente ! Ainda há sonhos dentro de mim, mas agora eles são mais concretos, reais e objetivos.Sonhos que envolvem alvo e uma busca incansável pela felicidade. E sobre o amor, eu ainda sei muito pouco.

Mas eu partirei nessa busca - só pra constar.

Um comentário:

  1. Parte nessa busca sim, apesar de agora ver as coisas de um modo mais racional, essa é busca é essência, te digo.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !