5 de jun de 2010

Foi numa dessas quatro estações quaisquer do ano que percebi que quando um conto de fadas acaba, nós começamos outro só para não deixar de acreditar nas coisas ma-ra-vi-lho-sas que ouvíamos a beira da cama quando criança.
Eu sou dessas pessoas, que não querem deixar a fantasia morrer, por isso sempre quando existe um fim, invento um outro começo.
Sempre com um livro na mão, que se encarrega de manter o meu mundo bem vivo.
Mesmo as pessoas dizendo que sou bem grandinha para conto de fadas eu ainda sinto a mágica no ar e é isso que me reconforta.
Não acredito que existam pessoas com asas mas sim pessoas com o dom de fazer algo se tornar melhor, nem em príncipes encantados, mas ainda assim espero uma pessoa que me complete e que esteja disposta a lutar por mim – mesmo que não com dragões ou bruxas malvadas.
Quero um conto de fadas real, que possa ter um começo, um meio e um fim que eu sei que pode ser infeliz,mas estou disposta a correr risco.
Agora é hora de virar o jogo! Fecho o livro porque sei que não é dentro dele que as coisas acontecem de fato. Saio em busca da realidade.
E enquanto o sol ainda estiver no céu eu serei a pessoa que procura o amor e a saudade.
A noite volto para meus pensamentos, pra meu livro, aonde encontro ali nas palavras, a história que um dia quero escrever no meu destino.

Um comentário:

  1. ADOREI!! gostei mt mesmo... simplesmente bonito de mais...

    ResponderExcluir

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !