29 de out de 2011

Era mais um entardecer qualquer.
Buzinhas, motores e pessoas transitando de um lado ao outro.
Pessoas estas, que passam despercebidas umas pelas outras. Nem um olhar, nem sequer um sorriso.
Culpa da rotina? Talvez. Culpa da atualidade? Nem sempre.
Em meio a essa multidão desprovida de qualquer sentimento, duas pessoas incomuns observam tudo ao redor, e como obra do destino seus olhares se cruzam no momento que um vendaval de emoções tocam seus corações.
Ultrapassando qualquer coincidência ou acaso, a menina dos olhos de mel sabia que ali começava um capitulo diferente na vida daquele menino de sorriso encantador.
Mais tarde ele se recordaria do olhar penetrante daquela desconhecida, enquanto ela jamais esqueceria aqueles lábios perfeitos desenhando o mais belo sorriso.
E bem ali, diante dos últimos fragmentos alaranjados do por do sol, o destino de ambos era traçado - para a eternidade.

Um comentário:

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !