9 de jan de 2012


Não ligo se estamos apressando o tempo nessa ansia de nos amar. 
Deixei de me importar com as regras no instante em que te vi. 
Você veio tão cheio de sorrisos e sotaques e atenção, que me permiti cativar sem volta. 
Deixa o tempo ser nosso, desenhando nossas linhas de acordo com nossas vontades, com nossa necessidade de se amar, de se entregar.
Eu te quero perto, mais que presente. Dormi no teu colo, engolindo um ‘eu te amo’ bem gigante. Tanto silêncio meu. Tanto sorriso seu. Eu te amo! 
E hoje, estou te querendo um tanto quanto pra sempre, seja descobrindo o sol nascer no mar, seja brindando em noites frias, seja nos redescobrindo entre lençóis gelados ou só suspirando no mesmo ambiente. Se tudo continuar tranquilo desta forma,  prometo me acostumar a ser cada dia melhor por você. 
Só, por favor, entenda a minha cara de assustada, tão recheada de sorriso, quando você me chama de minha linda, meu anjo, minha barbie, meu amor.
É que sempre pertenci àqueles que não sabiam me chamar de minha. 
Fico boba. Boba, boba e com uma felicidade tão tranparente, que quase me permito ter a certeza de que agora as coisas estão no lugar... Minto. 
Agora as coisas estão com uma pressa danada de estar no lugar. 
E assim, eu sussurro bem mansinho: Eu te aceito pra sempre, meu amor.   

Um comentário:

  1. Que doçura, quanto amor!

    Encheu meu dia de esperanças, florzinha! :D

    Beijinho! :*

    ResponderExcluir

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !