15 de fev de 2012


"O amor sobrevive é de intervalos. O intervalo faz rebrotar a primeira paixão, o primeiro encontro. Faz nascer a saudade, o elemento que mensura o amor.
Amor que não sofre de saudade desanda, perde a consistência."
– Pe. Fábio de Melo

É através dessa frase que eu me inspiro hoje. Ela me fez relembrar nossas promessas, nossas conversas, nossos planos. Cada detalhe do nosso amor. Já te disse uma vez, e repito agora com ainda mais certeza: Relacionamento a gente constrói. Dia após dia. Dosando paciência, silêncios e longas conversas.
 Eu estou tentando me manter racional.
Tentando não misturar o doce sabor das palavras com o salgado sabor das minhas lágrimas.
Tenho tantas coisas pra fazer, pra se resolver e não tenho força. Por que derrepente, eu me vi tão insegura?
A única certeza que me resta, é minha sede de te amar. Estava folheando “O pequeno príncipe” e a primeira frase que li foi esta: Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante!
E é mesmo verdade. Agora eu percebo.  É o tempo que eu dedico a você, que te faz ser tão importante pra mim. Afinal, quando se cativa nos tornamos únicos no mundo, um para o outro.
Quando o seu céu esta escuro eu o pinto e faço surgir um arco-íris sob ele.
Quando seu coração se parte, eu peço a Deus que Ele passe a sua dor para mim.
E em nenhum momento penso em te deixar... Pelo contrário, sabe?!
Eu sonho em daqui a alguns anos estar com um lindo vestido branco e você ao meu lado. Eu sonho com seus poemas sempre dirigidos somente a mim.
Eu quero que você me proteja de todo mal e que quando eu senta frio ou fique doente, você fique ao meu lado, me aquecendo e cuidando de mim.
Queria que você esteja sempre comigo, pra secar alguma gota de lágrima dos meus olhos.
Eu quero sempre cuidar e amar você. E você, deve cuidar de mim também.
Sempre achei que nossa história teve um lindo começo, e aquela nossa música ainda toca aos meus ouvidos.
Defeitos, todos nós temos.  Uma vez me disseram que quando quisermos construir uma história de amor, devemos antes amar os defeitos da pessoa. Porque, se podemos conviver com nosso pior, com certeza merecemos o melhor um do outro. E assim, só teremos a crescer e nos completar cada dia mais.
Mas tem que haver conversa. Tem que haver diálogo. Coisas simples e bobas, é que fortificam o amor. Um simples ‘ vi algo, e lembrei de você na hora ‘,  ou um ‘sinto sua falta’  mostram o quanto nos importamos. Falar do dia-a-dia,  dar risadas de piadas sem graça,  dividir os problemas, desabafar e multiplicar a felicidade.
Pesos desnecessários causam sempre dores desnecessárias. Vamos esvaziar a mala, limpar, e preenchê-la com sensações boas, só as melhores.
Relacionamento também é abrir mão, cada qual um pouco.  É se doar,  é compreender, é nunca duvidar, é sempre perdoar.
Lembra do texto que você leu pra mim dia desses? Então, ‘Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.’
Não vamos entrar na dança da mediocridade. Do baixo astral. Das más vibrações.
Eu prometo ficar em silêncio quando eu não tiver a capacidade de disparar doçuras e delicadezas por aí.
Não vamos deixar coisas bobas estragar o que temos de mais bonito. Eu te imploro.
Que saibamos dar um ao outro o que temos de melhor em nós; que nos aceitemos e nos amemos como somos, com as riquezas e limitações que temos.Cresçamos juntos, sendo caminho um para o outro; saibamos carregar o fardo um do outro, encorajando-nos a crescer sempre no mútuo amor.
Porque em uma época em que os desejos duram o tempo de uma estação, amar virou coisa de gente corajosa.
 Amor, por tudo isso que hoje eu sei, não posso nem pensar em te perder.
Queria te encontrar pra te dizer que eu nunca amei alguém como eu amo você.
Você simplesmente existindo, me faz feliz.
Nunca esqueça, eu posso te fazer feliz também. É um risco.
 Eu pulo, se você me der a mão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !