17 de fev de 2014


Como é a sensação de ter o coração livre? Como é não ter alguém que atormenta a sua cabeça? Como é estar forte? Como é não ter o mundo desabando por causa de outra pessoa?
Eu costumava ser forte, mas aí você apareceu. No começo parecia bom, tinha toda aquela sensação de adrenalina que eu sentia quando estávamos pertos, parecia que eu estava prestes a pular de um avião sem paraquedas, aquela confusão que me fazia gaguejar como se eu ainda estivesse a aprender as palavras, aquela nuvem de corações coloridos que saltavam da minha cabeça quando sorrias para mim, não havia jeito de resistir. Você não tocou a campainha, entrou arrebentando a porta e tirando tudo do lugar, eu que sempre fui tão centrada fiquei com o eixo fora do lugar, acabei presa em seus encantos e quando notei o que estava havendo era tarde demais para fugir, o amor pegou-me de jeito e de repente você passou a ser o responsável por tudo o que fazia.
Depois do extasie de alegria com a sua entrada triunfal no meu coração e da bagunça toda causada por essa sua mania de ocupar espaços que não são seus, você partiu e eu conheci a outra face do amor, agora não se trata da adrenalina de saltar sem paraquedas de um avião, é sobre cair de lá de cima sabendo que não haverá nada para me salvar aqui embaixo.
O vi voltar e partir por diversas vezes consecutivas, era só achar alguém aparentemente melhor que já estava abandonando-me como se todas as nossas despedidas não arrancassem um pedaço meu, pior era a sua volta trazendo um punhado de esperança para alimentar minha alma que logo passaria por tumultos.

 Mas em uma dessas despedidas eu resolvi te tirar de mim, eu estava precisando de uma faxina, resolvi desocupar lugares, jogar fora o que já não me serve e essa história ficou pequena demais para mim, meus objetivos não cabem mais na espera de ter-lhe sabe-se lá quando, tem uma hora na vida que a gente precisa crescer e pra isso temos que fazer certas escolhas que nos ajudem a atingir nossas metas, precisei escolher trancar a porta, as janelas e o coração para qualquer coisa que me lembre de você.
Meu coração está meio maltrapilho, mas o tempo irá ajeitando a bagunça que você formou e uma hora dessas sei que vou me lembrar de como eu era antes de te conhecer.
Quem sabe um dia você resolver crescer também e a gente se encontre já maduros o suficiente para eu dizer que no fim nunca precisei de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, opine, se expresse. Esse é o seu espaço. Que ele seja doce !